0

4 sinais de que você precisa de ajuda com relatório de quilometragem

Quando a empresa necessita dos veículos de seus colaboradores para fazer viagens corporativas, ou visitações a clientes, surge um grande problema: o relatório de quilometragem.

Tal documento precisa expor os números reais de gastos com combustível e quilometragem dos veículos. Além disso, não pode comprometer todo o tempo do setor financeiro para atualizar esses dados.

No entanto, alguns negócios ainda estão caindo em armadilhas perigosas nesse quesito. Isso representa um perigo enorme para o fluxo de caixa da companhia e até para sua saúde financeira.

Mas não se preocupe!

Para evitar que você cometa os mesmos erros, confira nesse post os 4 sinais que você precisa de ajuda com o reembolso de quilometragem. Descubra onde está errando e aprenda como evitar esses problemas em sua empresa, combinado?

1. Não conhece as despesas reembolsáveis

Esse é um erro muito comum nas empresas. Dependendo da forma e frequência de utilização dos veículos, os valores de reembolso serão diferenciados.

Algumas vezes a empresa pode estar pagando o que não deveria, ou ainda deixando de ressarcir o funcionário de uma despesa obrigatória. Nos dois casos podem ocorrer prejuízos para o negócio, seja no desperdício de dinheiro ou em um processo jurídico. Fique atento!

Sendo assim, você deve conhecer quais são as despesas passíveis de ressarcimentos e como calcula-las. Além disso, essas informações devem constar obrigatoriamente em seu relatório de quilometragem.

Divulgue esses dados para os colaboradores também e adicione-os em sua política de viagens corporativas e reembolsos. É importante que todos saibam o que será reembolsado pela empresa e o que não será pago.

2. Perde muito tempo atualizando planilhas

O tempo gasto para atualizar as planilhas de reembolso varia de acordo com o tamanho de sua frota. Mas você deve concordar que esses minutos ou horas poderiam ser mais bem gastos, não é?

Imagine levar 4 horas semanais para lançar as despesas, avalia-las, aprovar e fazer os pagamentos. É um tempo que poderia ser empregado na gestão do negócio ou em atrair novos clientes, por exemplo.

No cenário extremamente competitivo que vivemos hoje, você precisa agilizar processos e evitar o desperdício. Então, que tal mudar a forma como gerencia o seu relatório de quilometragem?

Aplicativos de reembolso e outras soluções já estão disponíveis no mercado. Elas ajudam a registrar informações com mais agilidade e segurança. Fatores que contribuem para deixar o negócio ainda melhor e agilizar os processos financeiros.

Por isso, veja se não é o caso de investir em software para controlar as despesas de viagens e quilometragem. O investimento será devolvido na economia de recursos do negócio e você terá mais controle sobre esses gastos.

banner demonstração expenseon

3. Os dados não são muito confiáveis

Geralmente é um erro decorrente de planilhas manuais ou relatórios de quilometragem escritos a mão. Nesses casos, a sua gestão está passível de erros de digitação, interpretação equivocada dos números e até mesmo adulteração dos dados.

Todos esses fatores podem levar a empresa a pagar mais do que deveria e afetar o fluxo de caixa do negócio. Conferir cada relatório de quilometragem também leva tempo, o que pode dificultar a auditoria de cada despesa.

Já pensou lançar a quilometragem dez vezes mais do que realmente era? Pense como esse erro simples afetaria o cálculo de gastos como combustíveis e taxas do DETRAN? Uma única linha preenchida de forma errada colocaria todo o cálculo em cheque.

Por outro lado, não conhecer os números reais pode complicar a situação financeira do negócio. Logo, é importante investir em processos automatizados e confiáveis para obter essas informações.

Além de usar a tecnologia como aliada, essa atividade deve ser feita por alguém de confiança. Quando não puder ser conferida pelo gestor diretamente, cabe delegar a tarefa para uma pessoa capaz e confiável.

Assim as chances de erros ou adulteração são diminuídas e você tem mais confiança nos valores pagos mensalmente aos funcionários.

4. Não sabe calcular o KM rodado dos veículos

Chegamos a um dos pontos mais críticos quando se fala em relatório de quilometragem: o cálculo do KM rodado.

Para compreender o valor a ser reembolsado à sua equipe você deve conhecer essa operação matemática. Como dito no início deste artigo, esse cálculo abrange conhecer as despesas reembolsáveis e entender como chegar ao valor final.

Por não entenderem esse princípio, a maioria dos negócios tem pagado mais do que deveria ou simplesmente deixado de ressarcir valores aos seus colaboradores. Se você zela por transparência e confiança então não vai querer cair nesse erro, certo?

Aprenda como calcular cada um dos itens desse relatório e chegar ao valor correto de reembolso. Não deixe que a quantidade de números assuste você ou leve as finanças do negócio por água abaixo.

Esse conhecimento também vai contribuir para fazer uma auditoria mais eficaz dos gastos e chegar a outras informações úteis à gestão financeira do negócio. Use um sistema de reembolso eficaz para facilitar todo o processo!

Ainda não tem um modelo de relatório de reembolso de KM? Baixe o nosso agora mesmo, calcule a taxa de quilometragem e controle dos quilômetros rodados em um só lugar!

banner_relatorio_de_km

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Yanick Gudim

Founder, CEO ExpenseOn Yanick Gudim, controller com ampla experiencia em auditoria e consultoria de empresas de médio e grande porte. Durante 3 anos trabalhei como consultor financeiro para startups de tecnologia como: Just Eat, Elens, Girafas, Mega Mamute, Sorte Online, Beleza na web, Play tech, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *