0

Aprenda como funciona e para serve o seguro de viagem corporativa!

O seguro viagem não é algo exigido por lei para trabalhadores externos e que realizam viagens constantes em nome da empresa. Mas é uma prevenção ótima para ter, quando algo não sai como o planejado.

Sabemos que os imprevistos não avisam quando vão aparecer. E quando surgem, podem trazer consequências gravíssimas para a empresa e seus colaboradores.

Por isso, o seguro de viagem corporativa é tão importante. Ele ajuda a prevenir e combater imprevistos, ao mesmo tempo em que reforça a preocupação da empresa com a saúde de seus colaboradores.

Se você ainda não tinha pensando nesse tema, saiba como funciona essa cobertura e por que oferecê-la a seu time externo hoje mesmo. Confira!

Responsabilidade da empresa

É sabido que a responsabilidade pela saúde e bem-estar do colaborador cabe à empresa em casos de viagem a trabalho.

Como o funcionário fica a disposição do empregador nesse período, deve ser assistido pela empresa em caso de imprevistos.

Só esse já é um motivo muito forte para contratar o seguro de viagem corporativa, não é mesmo?

Caso a empresa e o colaborador não tenham essa cobertura, o orçamento do deslocamento pode ser ultrapassado com despesas médicas, translados e assim por diante. Fatores que podem comprometer a gestão financeira do negócio.

Sendo assim, para que a organização fique mais tranquila e seus funcionários também, é bom contar com uma segurança durante o deslocamento. Caso contrário, a empresa pode pagar mais caro depois que algo ruim acontecer, então é melhor prevenir!

Exigência do seguro

Além do fator ético e de prevenção, é preciso ficar atento aos destinos que exigem a contratação do seguro de viagem. Na maioria dos casos, essa obrigatoriedade acontece em viagens internacionais.

Mesmo assim, para deslocamentos superiores a 100 km do local de origem já é possível contar com essa proteção.

Logo, antes de mandar seu colaborador atender uma demanda, verifique como o local de destino lida com esse tema.

Países participantes do Tratado de Schegen, por exemplo, exigem uma cobertura de 30 mil euros. Noruega, Dinamarca, Finlândia, Bélgica e Holanda são alguns destinos que seguem as regras desse tratado.

Outras confederações, como Cuba e Venezuela, têm as suas próprias exigências quanto ao valor de cobertura do seguro. Então, verifique esse item com o consulado do país a ser visitado e contrate a proteção com antecedência.

Em outros locais não é exigido um montante específico, mas mesmo assim o colaborador deve apresentar o seguro de viagem ou saúde para entrar no país. Estados Unidos e Austrália são exemplos nesse caso.

Cobertura

Agora que você já sabe quando e por que contratar um seguro de viagem corporativa, o próximo passo é conhecer a cobertura. Afinal, qual a proteção que a seguradora oferece à empresa e seu funcionário?

A maioria das proteções oferece as seguintes coberturas:

  • Assistência médica;
  • Assessoria jurídica;
  • Acidentes pessoais;
  • Extravio de bagagem;
  • Auxílio farmácia;
  • Cobertura odontológica emergencial;
  • Fisioterapia;
  • Entre outros.

Além dessas especificações o seu contrato pode prever outras proteções. O melhor é ficar atento às cláusulas do acordo e verificar os seus direitos e deveres. Em seguida, repasse essas informações para seus funcionários para que possam acionar o seguro em caso de necessidade.

E você, já faz uso do seguro de viagem corporativa em sua empresa? Deixe o seu comentário abaixo!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Yanick Gudim

Founder, CEO ExpenseOn Yanick Gudim, controller com ampla experiencia em auditoria e consultoria de empresas de médio e grande porte. Durante 3 anos trabalhei como consultor financeiro para startups de tecnologia como: Just Eat, Elens, Girafas, Mega Mamute, Sorte Online, Beleza na web, Play tech, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *