0

Aprenda Como Fazer a Gestão de Custos da Empresa Corretamente!

gestão de custos na empresa

Muitas empresas ignoram a necessidade de se fazer uma boa gestão de custos. E, dessa forma, acabam perdendo eficiência em preço e em alguns casos indo até mesmo à falência.

Fazer uma gestão de custos corretamente é fundamental nos dias de hoje onde a concorrência está cada vez maior, e a tecnologia permite que uma empresa possa vender os seus produtos para qualquer lugar.

Quer entender mais sobre gestão de custos e como fazê-la corretamente? Acompanhe este conteúdo até o final!

Entendendo a diferença entre Custo Fixo, Custo Variável e Custo da Mercadoria Vendida

O primeiro passo para se fazer uma correta gestão de custos é saber classificar os custos da sua empresa e, para isso, é preciso dividi-los em três categorias diferentes:  custos fixos, custos variáveis e custo da mercadoria vendida.

Veja logo abaixo o conceito de cada um deles:

Custo fixo

O custo fixo é, na verdade, o maior vilão do seu negócio. Pois, independentemente do volume das suas vendas ele estará lá. O custo fixo é, basicamente, tudo aquilo que não está ligado diretamente com a venda.

Como exemplos de custo fixo podemos citar o aluguel, a fatura de energia elétrica, a conta de água, a folha de pagamento, os encargos sobre a folha de pagamento, a mensalidade do contador, o telefone, dentre outros custos.

É importante entender que o conceito de custo fixo não diz respeito a um custo que não tem nenhuma variação de preço. O conceito diz que o valor do custo fixo não varia de acordo com a venda. Por isso, gastos com material de escritório, por exemplo, são fixos, mesmo variando mensalmente.

Custo variável

O custo variável é aquele que varia mensalmente de acordo com as vendas. Ou seja, quanto mais você vender maior será o custo variável, e quanto menos vender menor será o custo variável.

Normalmente os custos variáveis são apenas impostos, comissão, participação no lucro da empresa e frete. Para você saber contextualizar um custo variável basta se perguntar: Se minha venda fosse zero, eu teria esse custo?

Custo da mercadoria vendida

O custo da mercadoria vendida é o valor pago da matéria-prima que irá compor o seu produto. No comércio, é o valor pago ao fornecedor pelo produto acabado que será vendido pela sua empresa.

Muitas empresas classificam esse custo como variável, pois ele também varia de acordo com a venda da empresa, sendo que se não vender nada, esse custo é zero. Contudo, para fins didáticos ele deverá ser separado.

Faça uma organização correta

Após conhecer a classificação dos custos é importante fazer um correto levantamento dos mesmos. Criar desse modo uma planilha, ou até mesmo um software, que possa auxiliar nesse processo é um bom começo.

É importante lançar diariamente todo o custo realizado no dia. Seja uma bala ou a compra de matéria-prima,  este gasto deverá ser lançado no local correto de sua classificação. Esse levantamento é fundamental para entender para onde está indo o dinheiro da empresa.

Principalmente empresas que trabalham com vendedores externos, no qual é necessário realizar reembolsos constantemente. Por isso, é essencial que se crie um método organizacional para evitar gastos desnecessários.

Quer ter uma planilha para controlar os gastos de viagem? Baixe gratuitamente o nosso relatório de reembolso de despesas de viagens!

Após o levantamento faça uma avaliação dos custos

Depois de feito no mês o levantamento de todos os gastos, classificando-os corretamente, é importante fazer uma avaliação do que poderá ser cortado pela empresa.

Nesse ponto é válido buscar reduzir primeiramente os custos maiores. Afinal, são eles que representam o maior problema. Com isso, a margem do seu negócio irá se ampliar e, consequentemente, o lucro líquido também irá aumentar.

A análise minuciosa de custos é fundamental, tanto para os cortes desnecessários, quanto para precificar corretamente o seu produto.

Aprenda a fazer gestão de custos e formação de preço

Feito o correto levantamento do custo você conseguirá precificar corretamente o seu produto. Pois saberá o percentual a que cada custo representa do seu faturamento. Vamos entender:

Imagine um exemplo, onde todos os custos fixos somados chegaram ao valor de R$25 mil e sua empresa fatura em torno de R$100 mil. Logo, para transformar o custo fixo em percentual, basta dividi-lo pelo faturamento, da seguinte forma:

% Custo Fixo = (Custo Fixo / Faturamento) * 100

Nesse exemplo teríamos:

% Custo Fixo = (R$ 25.000 / R$ 100.000) * 100 = 25%

Os custos variáveis, diferente dos custos fixos já são dados em porcentagem. Um exemplo, você pode pagar 7% de imposto, 10% de comissão e 5% de frete. Desse modo, os custos variáveis somados representam nesse exemplo, 22%.

O custo da matéria-prima é dado em valor unitário. Se for uma indústria é preciso saber exatamente o consumo da matéria-prima sobre cada produto, se for um comércio é mais fácil, basta pegar o valor pago ao fornecedor pelo produto.

Bom, vamos imaginar nesse exemplo acima, que a empresa venda externamente chocolates. E que somado todas as matérias-primas, chegou-se ao valor unitário de R$ 2,00.

Para precificar esse produto basta aplicar a seguinte fórmula:

Preço de Venda = Custo da Mercadoria Vendida / ((% Custo Fixo + % Custo Variável + % Lucro Líquido) / 100).

O lucro líquido quem define é a própria empresa, e vamos supor que queiramos trabalhar com uma margem de 10%. Então, no exemplo teríamos:

Preço de Venda = R$ 2,00 / (( 25 + 22 + 10) / 100) = R$ 2,00 / (57 / 100) = R$ 2,00 / 0,57 = R$ 3,51.

Nesse exemplo, o preço ideal de venda para pagar todas as despesas e sobrar 10% para a empresa nesse produto é de R$ 3,51.

Busque o auxílio da tecnologia para garantir a máxima eficiência

Como você pode notar, é extremamente importante classificar os custos e saber precificar o produto corretamente para que sua empresa sobreviva no mercado.

Contudo, para se chegar ao valor da matéria-prima correta, fazer esse cálculo para cada produto e lançar corretamente todos os custos é fundamental o auxílio da tecnologia. Pois, dificilmente a empresa conseguirá realizar isso manualmente.

Buscar softwares que garantam uma boa gestão das despesas de viagem, bem como sistemas que auxiliem no momento de lançar os custos e precificar os produtos é a chave para o sucesso da sua empresa.

E, agora que você já sabe como fazer uma gestão de custos eficiente, chegou o momento de aprender mais. Assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades do mercado! Aproveite e continue lendo o blog da ExpenseOn

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email

Yanick Gudim

Founder, CEO ExpenseOn Yanick Gudim, controller com ampla experiencia em auditoria e consultoria de empresas de médio e grande porte. Durante 3 anos trabalhei como consultor financeiro para startups de tecnologia como: Just Eat, Elens, Girafas, Mega Mamute, Sorte Online, Beleza na web, Play tech, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *