0

Como a gestão de riscos financeiros pode evitar a falência da empresa?

gestao de riscos financeiros

Lidar com a oscilação e a imprevisibilidade do mercado é uma tarefa tanto das grandes quanto das pequenas empresas, e é parte fundamental do processo de crescimento. Como o mercado passa por constantes mudanças, é preciso estar preparado para reduzir ao máximo os impactos no setor financeiro e agir corretamente quando surge um evento inesperado. Para fazer isso, a gestão de riscos financeiros é indispensável.

Entretanto, você já parou para analisar se na sua empresa a gestão de riscos financeiros é feita corretamente e com eficiência? É provável que você fique dividido ao responder esta pergunta, já que por vezes ela é negligenciada por gestores. De qualquer forma, não deixa de ser parte fundamental do sucesso organizacional.

Afinal, conforme dito anteriormente, é por meio dessa gestão que é possível lidar com flutuações e imprevisibilidades do mercado, além de poder prever mudanças, reduzir impactos negativos e saber também como agir de modo adequado a partir de cada evento.

Se você quer entender mais sobre gestão de riscos financeiros e como implementá-la no seu negócio, continue lendo este post até o final.

O que é gestão de riscos financeiros?

Para entender mais sobre a gestão de riscos financeiros, é necessário saber que qualquer instituição que busca aumentar seus lucros por meio da comercialização de produtos e serviços, certamente está correndo riscos – riscos de entrega do produto, riscos operacionais, riscos do mercado, de qualidade, entre outros.

Logo, a gestão de riscos financeiros tem como objetivo principal reduzir os efeitos causados pelo mercado na empresa. Considera-se, portanto, uma medida gerencial que permite que a empresa esteja preparada antecipadamente para qualquer modificação que ocorra no âmbito dos negócios.

No entanto, essa atitude vai além do que se pensa, pois antever os possíveis riscos, controlar os gastos e melhorar a gestão financeira da empresa pode evitar até mesmo que o negócio quebre.

Principais riscos financeiros para uma empresa

banner demonstração expenseon

Mas quais são os principais riscos financeiros que rondam uma empresa e devem ser evitados? Basicamente, os riscos financeiros são definidos em quatro tipos:

Riscos operacionais

Os riscos operacionais dizem respeito às possibilidades que a empresa tem de ser afetada por perdas que ocorrem devido a falhas de colaboradores, processos ou sistemas internos. Como exemplo podemos citar defeitos em equipamentos, softwares ou hardwares obsoletos ou ainda profissionais pouco ou mal qualificados.

Riscos de mercado

O risco de mercado diz respeito às oscilações que referem-se a preços e cotações que podem afetar de alguma maneira a situação financeira da empresa. Como exemplo podemos citar uma empresa que importa insumos e paga em dólar, mas comercializa o produto no mercado nacional. Logo, esse empresário está sujeito à queda na cotação do real, o que irá impactar diretamente no momento de cumprir os compromissos acordados com os fornecedores. Portanto, estar sujeito às oscilações das moedas é um tipo de risco de mercado.

Riscos de crédito

Os riscos de crédito envolvem a possibilidade de o pagamento ao credor ser feito com atraso ou mesmo desse pagamento não acontecer. Como exemplo de risco de crédito podemos citar as financeiras que emprestam dinheiro aos clientes.

Quando uma pessoa física ou um empresário solicita um empréstimo, ele é analisado minuciosamente de acordo com a sua capacidade de arcar com aquele contrato de empréstimo. Caso a financeira em questão perceba que aquele cliente é de alto risco, ele deverá pagar mais juros.

Entretanto, vale lembrar que o risco de crédito também impacta outros segmentos como comércio, indústria, além de outros negócios. Um distribuidor, por exemplo, que recebe pagamentos por meio de  boletos está exposto ao risco de seu comprador não pagar as mercadorias após as ter recebido.

Riscos de liquidez

Já o último risco é o risco de liquidez, e ele está associado à capacidade da empresa conseguir pagar suas contas ou não. Quando ela não está conseguindo cumprir seus compromissos financeiros, é provável que por trás disso esteja havendo uma má gestão de fluxo de caixa devido a um descasamento. Como exemplo podemos citar contas que precisam ser pagas, mas não há previsão de entrada no caixa, o que por consequência pode deixar a empresa endividada e o pagamento destas dívidas com multas e juros.

Qual a importância da gestão de riscos financeiros?

O maquinário é parte fundamental nas indústrias que trabalham com produção de produtos. Agora suponha que uma máquina da linha de produção quebrou e, com isso, a produção como um todo foi afetada e teve que parar.

Além do óbvio prejuízo pela falta de funcionamento, este incidente resulta também em gastos com reparo, atraso na produção de produtos, atraso na entrega para o cliente final, e ainda pode gerar uma má reputação da sua empresa perante o mercado. Além disso, esse evento aumenta as chances de o seu concorrente fazer uma venda no seu lugar e “roubar” o seu cliente.

Esse tipo de evento negativo dentro da empresa envolve diversas variáveis complexas e que muitas vezes acabam passando despercebidas aos olhos do gestor.

Portanto, a gestão de riscos financeiros trabalha para antever esses eventos e se programar para resolvê-los da melhor maneira possível.

Mas como isso é feito? A melhor forma de avaliar um risco é comparando a sua probabilidade de acontecer (como a parada das máquinas) com as possíveis perdas financeiras que serão geradas por ele (quão a empresa será prejudicada se o maquinário parar?). Além disso, também é possível utilizar técnicas que permitam detectar o problema em tempo suficiente antes que ele gere consequências maiores e mais negativas ao negócio.

banner demonstração expenseon

Como implementar uma gestão financeira eficiente?

Existem diversas técnicas para ter uma gestão financeira mais eficiente, isso sempre de acordo com a atividade da empresa e com o tipo de investimento feito. Mas, acima de tudo, é necessário que o responsável pela gestão saiba lidar com o improvável. Como isso não é uma tarefa simples, abaixo estão algumas dicas que podem ajudar neste momento. Veja!

Evite incluir riscos em excesso

Para fazer uma boa gestão de riscos financeiros, é necessário elencar possíveis riscos negativos. No entanto, é comum que muitas empresas não saibam quando devem parar de incluir riscos nos registros, mas isso deve ser evitado para manter a qualidade e credibilidade da lista.

As situações mais inusitadas e que têm baixa probabilidade de acontecer não devem ser levadas em consideração nesse momento. Deixe esses riscos de fora da lista, pois em alguns casos a empresa poderia até mesmo ficar sem condições de solucionar tal problema devido ao alto custo.

Nesse sentido, portanto, o ideal é considerar eventos que podem ser previstos, minimizados ou evitados com maior eficiência.

Diagnostique os riscos

Para diagnosticar os riscos do seu negócio, é importante lembrar que a sua empresa possui processos e modelos de gestão diferentes de outras companhias. Então, as particularidades da empresa devem ser diagnosticadas para que as atividades possam ser mapeadas e, assim, identificadas as principais fragilidades e vulnerabilidades do negócio.

Nesse momento, é necessário definir qual tipo de risco precisa ser identificado. Para isso, você pode fazer entrevistas com os próprios colaboradores e gestores da empresa para entender mais sobre os processos que são desenvolvidos diariamente.

Ao fazer essa análise, será possível perceber que o setor financeiro está diretamente ligado a todos os processos e setores da empresa, por isso é importante estar por dentro e entendê-los mais a fundo.

Logo, a partir desta análise, será possível fazer uma quantitativa que permitirá trabalhar os níveis de probabilidade de tais riscos acontecerem assim como seus impactos ao negócio.

Utilize sistemas de controle

Os softwares de gerenciamento financeiro, por exemplo, são essenciais para todo e qualquer empresário que deseja obter vantagens elencadas sobre o gerenciamento de risco.

Por meio de sistemas de controle é possível ter acesso a todos os dados financeiros da empresa, descobrindo possíveis inconsistências e situações que podem gerar problemas ao negócio, como um descasamento do caixa ou reembolso incorreto de despesas.

Faça auditorias regulares

Realizar auditorias regulares também é uma ação importante para ter uma gestão mais eficiente.

A auditoria basicamente é um processo de exame sistemático referente às atividades desenvolvidas na empresa e tem como finalidade verificar se estas estão sendo desenvolvidas em conformidade com o que foi estabelecido previamente.

Ela serve para definir quais erros podem interferir na liderança, saber se as atividades estão sendo executadas de acordo com o que foi planejado, além de conferir se os números registrados na contabilidade estão condizentes com a realidade da empresa, avaliando os registros e as movimentações.

Por isso, no que diz respeito a riscos financeiros, as auditorias são uma boa forma de verificar se tudo está sendo feito conforme o planejado e tem sempre o objetivo de otimizar os processos e melhorá-los cada vez mais dentro da empresa. Logo, é uma forma de saber se está tudo certo com a empresa e se ela realmente está preparada para antever e se preparar para possíveis riscos financeiros.

Então, como você percebeu, uma gestão de riscos financeiros eficiente só pode ser feita seguindo parâmetros de controle e avaliação. Ao longo deste post, apresentamos os principais detalhes que certamente garantirão o sucesso do seu negócio, preparando-o para possíveis eventos adversos que podem levá-lo à falência. Agora você sabe o quanto é importante analisar as ameaças, classificá-las e gerenciá-las com as melhores práticas.

Se você tem interesse em conhecer um aplicativo que pode ajudar na gestão de riscos financeiros na sua empresa, solicite agora mesmo uma demonstração gratuita do App ExpenseOn, especializado em gestão de reembolso de despesas!

banner demonstração expenseon

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Yanick Gudim

Founder, CEO ExpenseOn Yanick Gudim, controller com ampla experiencia em auditoria e consultoria de empresas de médio e grande porte. Durante 3 anos trabalhei como consultor financeiro para startups de tecnologia como: Just Eat, Elens, Girafas, Mega Mamute, Sorte Online, Beleza na web, Play tech, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *