0

Visto de trabalho: Tudo o que você precisa saber para viajar a negócio ao exterior

visto de trabalho viagem corporativa

Para exercer alguma atividade por determinado período no exterior, um indivíduo normalmente necessita de um visto de trabalho. Isso não é diferente para viagens corporativas. O que muda, no entanto, é que existem alguns vistos específicos para essa finalidade.

Por ser um assunto que levanta tantas possibilidades, é preciso avaliar a situação e verificar as leis de imigração de cada país antes de planejar uma viagem corporativa ao exterior. Para elucidar melhor o assunto, vamos iniciar definindo o que é o visto e porque ele é tão importante em viagens. Entenda abaixo.

O que é visto?

O visto se caracteriza como uma autorização para entrar em um determinado país, e esse documento deve ser solicitado com antecedência de alguns meses antes da viagem. Em geral, o visto possui uma data de validade, a área em que é permitida a circulação do indivíduo, a quantidade de visitas e as atividades que poderão ser exercidas por essa pessoa.

Dessa forma, esse documento apresenta diversas informações sobre as autorizações de permanência em um país estrangeiro.

Apesar da rigidez dos processos de imigração, há muitas pessoas que conseguem infringir essas regras, entrando em um país de forma ilegal. Nesses casos, o indivíduo se torna um imigrante ilegal, podendo ser deportado desses locais.

Por esse motivo, é muito importante estar atento às regras do país quando planejar uma viagem corporativa. Outro fator que deve ser considerado é o tempo para produção do documento em relação à data da viagem.

Vale ressaltar que alguns locais não exigem a apresentação de vistos para brasileiros, dependendo do tempo de permanência do indivíduo no país. A maior parte dos países do globo permite que brasileiros ingressem em seus territórios apenas com o passaporte. Contudo, Estados Unidos, Austrália e Canadá são apenas alguns exemplos de países que só permitem o acesso por meio do visto.

Os tipos de vistos são vários, cada um para uma finalidade diferente. Veja abaixo alguns deles que podem ser utilizados em viagens corporativas.

Tipos de vistos utilizados nas viagens corporativas

ebook_direitos_banner2

Há diversos tipos de vistos disponíveis, alguns podem ser utilizados em viagens corporativas e outras modalidades facilitam a entrada de viajantes a trabalho. Confira a seguir os principais meios para entrar em um país de forma corporativa.

Visto de trabalho

Esse visto é destinado às pessoas que passarão um tempo no exterior a trabalho. Nesses casos, o indivíduo deverá exercer um cargo no país estrangeiro, sendo regido por suas regras e leis. Para viagens corporativas, esses vistos podem ser úteis caso seja preciso que o funcionário trabalhe por algum tempo em uma filial de outro país, por exemplo.

Visto de negócios

Esse visto é destinado às pessoas que exercerão determinadas atividades no país. O documento legaliza algumas tarefas como fazer pesquisas científicas, participar de reuniões com sócios ou clientes, realizar trabalho voluntário, além de ser adequado para palestrantes e outras atividades semelhantes.

Visto de turista

Trata-se de um visto mais comum dentre as pessoas, sendo possível que o funcionário já possua esse documento. A maioria dos vistos de negócios aprovados recebe também o visto de turista. Apesar de não ser adequado para viagens corporativas, ele pode ser utilizado em conjunto com o visto de negócios.

Visto para representantes de meios de comunicação

Representantes de canais televisivos, jornais, cinemas e outros ligados aos meios de comunicação, devem utilizar esse visto para entrada em um país estrangeiro.

Global Entry

É um programa que permite a liberação mais rápida de viajantes que demonstrem “baixo risco” para o país de destino. É uma ótima opção para quem tem viagens corporativas de rotina para determinados países, pois possibilita que o indivíduo passe por quiosques específicos do programa, não sendo necessário utilizar a fila de imigração.

Além disso, basta o viajante apresentar o seu passaporte, escanear a impressão digital e fazer a declaração dos bens na alfândega. Para aderir é preciso responder a um questionário e realizar o pagamento de US$ 100. Contudo, há uma lista rígida de países que são elegíveis a esse programa.

VWP (Visa Waiver Program)

É um programa de isenção de vistos que permite viajantes de determinados países irem para os Estados Unidos a negócio ou turismo, sem necessidade de visto por 90 dias. Uma das diretrizes do programa prevê que seus cidadãos também tenham acesso a esses países sem visto pelo mesmo período.

Dentre os países que podem se beneficiar desse programa estão incluídos Portugal, França, Alemanha, Holanda e Coreia do Sul. Infelizmente o Brasil ainda não se encontra nessa lista atualmente. Contudo, a expectativa é que o país esteja dentre os privilegiados nos próximos anos.

ebook_direitos_banner2

Países que exigem e que não exigem visto de negócio

Para exercer uma atividade corporativa em outro país, o visto de trabalho é essencial. Contudo, alguns países permitem que brasileiros sejam dispensados de vistos de negócios, caso permaneçam no solo estrangeiro por determinado período.

Argentina, Alemanha, Chile, Dinamarca, Espanha, França, Itália e Noruega isentam brasileiros de visto de negócios por 90 dias. Já países como Panamá, Peru e México permitem a permanência sem esse documento por até 180 dias.

Como solicitar?

A emissão de vistos de entrada é de responsabilidade de cada nação. Por isso, cada país possui diferentes exigências e regras em relação à concessão de vistos. Ademais, dependendo do tipo de viagem os requisitos também podem variar.

Além de obter o passaporte e optar pelo visto adequado para a sua situação, o interessado deve se informar sobre os documentos envolvidos na emissão do visto para o país de destino.

Em alguns locais, é preciso realizar traduções juramentadas de alguns conteúdos. Dessa forma, é primordial se informar detalhadamente dos requisitos necessários antes da solicitação.

Há ainda alguns cuidados que devem ser mantidos no momento de solicitar o visto. Veja abaixo quais são os principais.

Cuidados na hora de pedir o visto

Preste atenção aos formulários

Essa etapa é fundamental, pois através dessas informações será determinada a aprovação do seu visto ou não. Preencha com atenção e esteja atento a inconsistências de dados que podem gerar questionamentos no momento da entrevista.

Comprove seus vínculos no Brasil

Para demonstrar que você não tem interesse em morar ilegalmente na pátria de destino, comprove os seus vínculos no seu país de origem. Mostre os motivos que farão você voltar para o Brasil no momento do pedido.

Tenha argumentos sólidos caso não possua comprovantes de vínculos e demonstre boa intenção. Dessa forma, o processo para emissão será menos dificultado pelo agente consular.

Após todo esse processo de entrada no país estrangeiro, diversos outros aspectos merecem a atenção de quem realiza uma viagem corporativa. Levando isso em consideração, confira a seguir como é feito o reembolso das despesas em viagens ao exterior.

Como lidar com o reembolso no exterior?

Em uma viagem corporativa, determinados gastos essenciais são de responsabilidade da empresa. Quando se trata de uma viagem ao exterior, esses valores podem ser ainda maiores, não só pela maior distância ou diferença das moedas, mas também pela tributação das despesas.

Por esse motivo, além de buscar o seu visto de trabalho é preciso verificar a política de viagens da empresa e preencher com atenção todos os dados para o reembolso, com o objetivo de facilitar o ressarcimento dessas despesas em uma viagem corporativa internacional.

Para saber mais sobre isso, veja este post sobre reembolso de despesas no exterior e tire todas as suas dúvidas.

Tem dúvidas sobre outros pontos das viagens a trabalho? Então, conheça todos os seus direitos em viagens corporativas, baixe o nosso ebook.

ebook_direitos_banner2

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Yanick Gudim

Founder, CEO ExpenseOn Yanick Gudim, controller com ampla experiencia em auditoria e consultoria de empresas de médio e grande porte. Durante 3 anos trabalhei como consultor financeiro para startups de tecnologia como: Just Eat, Elens, Girafas, Mega Mamute, Sorte Online, Beleza na web, Play tech, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *